• Viagem a Roma por Tiago: 3° dia

      Hoje é o nosso terceiro dia em Roma, veja o que fizemos no primeiro e no segundo dia.

      Na segunda-feira cedinho minha esposa foi para o Congresso e eu fui visitar o Museu do Vaticano, achei que chegando por volta das 8 horas da manhã não ficaria muito tempo na fila, ledo engano.


      Fila para o Museu Vaticano - Photo: M@rcello;-)

      A fila estava enorme, andei por uma parte dela e já estava me preparando para mudar os planos quando um rapaz me abordou e num inglês meio atravessado me ofereceu uma visitação com guia.

      Eu já estava recusando, pois não estava entendendo-o muito, quando me perguntou de onde era, rimos muito ao descobrir que ele era do Brasil e ficáramos tanto tempo sem nos entender direito.

      Enfim ele me explicou tudo direitinho, era bem caro, Є 60,00, mas quer saber de uma coisa?, era um sonho meu conhecer o lugar, então meti a mão no bolso sem pensar muito.

      O objetivo desta visita guiada é principalmente fugir da enorme fila, pois tem uma entrada lateral preferencial para estes grupos.

      A guia era uma italiana e falava um inglês pausado e simples, o grupo era formado por 12 pessoas de diversas nacionalidades e quando entramos no museu ela nos deu um rádio com fone de ouvido para poder ouvir suas explicações.

      A guia, logo na entrada nos descreveu como foram as etapas de construção do Vaticano e os seus diversos anexos, como as obras foram coletadas ao longo dos séculos e, em frente à uns painéis enormes, deu um panorama sobre as pinturas da Capela Sistina, e o que representavam, algumas figuras e simbolismos.


      A Criação de Adão (Michelangelo) - Capella Sistina
      Photo Credit: Léo Perrone

      Algumas pessoas do grupo não quiseram ficar para as explicações, e devolvendo os rádios, foram andar pelo museu sozinhas, ou seja, pagaram apenas para entrar de forma rápida no museu.

      A guia foi nos levando pelas alas do museu e nos mostrando as principais e mais famosas obras, fornecendo dados sobre cada uma, o percurso durou umas duas horas e depois, tinha-se duas opções, entrar na Capela Sistina e daí ir embora ou ficar por conta própria para visitar as demais alas e obras.

      Fiquei mais umas duas horas visitando o museu e ainda faltou muita coisa para ver, principalmente a ala egípcia, depois fui para a Capela Sistina, que era o meu principal objetivo. É uma visão maravilhosa, difícil de descrever em palavras, cada pintura mais linda do que a outra.

      Do Vaticano peguei um ônibus para a Termini, onde encontrei minha esposa e almoçamos. Ela estava carregada com uns mil livros do Congresso, achei que ia perder muito tempo levar para o hotel e voltar para visitar o Coliseu, pois a tarde já estava avançada, então enfiei tudo dentro da mochila e pegamos o metrô para a Estação Colosseo.

      A fila em frente ao Coliseu estava pequena, então fomos direto para a cereja do bolo, a entrada custa Є 12,00 por pessoa e dá direito a visitar o Palatino e o Fórum Romano. Maravilhoso e impressionante o fato de uma edificação tão grande ter sido construída há tanto tempo, infelizmente o esporte da época era muito agressivo, mas em tempos de MMA, quem somos nós para criticar os antigos romanos?


      Parte interna do Coliseu

      Dali fomos ao Palatino, passando pelo Arco de Constantino, visitar os antigos palácios imperiais. As ruínas dão uma idéia do que foram aquelas construções, jardins enormes, salas, escadarias, saguões, se tiver uma boa imaginação dá pra se ter noção da opulência daqueles locais.

      Do alto de uma das colinas dá para ver o Circo Máximo, e também existe um pequeno museu por ali, com esculturas antigas e alguns achados da era pré-romana.

      Descendo a colina chega-se ao complexo do Fórum Romano, com diversos templos, o das virgens vestais, o de júpiter e outras construções imponentes, além de alguns arcos também. Fiquei impressionado ao ver marcas de desgaste feitas pelas rodas de carruagens nas ruas calçadas com pedras, e também com as jóias e artefatos de vidro expostos em um templo.

      Quando deram o aviso de fechamento do local eu já estava morto de cansado, mesmo assim, resolvemos voltar para a Fontana de Trevi para tirar mais algumas fotos. Paramos para lanchar numa das cafeterias localizadas nas vielas que circundam a Fontana e fomos em frente.

      Aguardamos o anoitecer perambulando sem destino pelas ruas, entrando em pequenos mercados, tomando um gelato, e observando o movimento dos turistas. Com a noite já bem avançada fomos à Fontana de Trevi, que estava linda e charmosa com a sua iluminação noturna, tirei mais um bocado de foto e fomos para o hotel de metrô (Estação Barberini – Estação Pirâmide).

      No hotel descobri que a máquina fotográfica tinha caído do bolso, eu a coloquei com displicência, provavelmente ficou metade pra fora, e durante a caminhada... Eu sempre a colocava na capa presa ao cinto, mas acho que o cansaço afetou minha mente e fiz o que não devia, enfim, fiquei arrasado por ter perdido minhas fotos do Vaticano, Coliseu, Palatino, Fórum, Fontana de Trevi... É melhor nem pensar muito nisso, fotos agora só no celular.

      Meio desanimados, resolvemos comer num Burger King próximo ao hotel, sendo esta a refeição mais triste da viagem, tanto em relação ao estado de ânimo quanto ao paladar.